sexta-feira, 21 de março de 2014

A oração do pai nosso parte 4: “Seja feita sua vontade assim na terra como no céu”


Chegamos a parte mais emocionante destas primeiras considerações, aqui as coisas realmente estão postas no seu lugar. O Senhor reconhecido como pai, Deus e rei e nós no nosso lugar de filho, criatura e servo.

Muita gente tem dificuldade de entender isso pois oram como se Deus fosse seu escravo ou um fantoche que está atento às nossas ordens a qualquer momento. Agora a aproximação entre Deus e o homem está se acertando pois, homem finalmente reconhece seu lugar e é isso que chama a atenção do Senhor e faz com ele nos seja favorável. Bem, vamos as considerações da frase:

Quando dizemos para Ele seja feita a sua vontade estamos reconhecendo que Deus sabe o que é melhor para nossas vidas. Por isso não ficaremos desapontados se ele não quiser atender as nossas orações pois como o Senhor sabe o que é melhor para cada um de nós. 


A segunda coisa é que a vontade de Deus mesmo que não seja a minha ele deve prevalecer e é isso que mostra a nossa submissão a Ele quando lhe aceitamos a vontade em nossas vidas. Essa vontade deve ser entendida a partir da segunda frase, “Assim na terra como no céu”. Você já parou para pensar que a vontade de Deus não é questionada no céu entre seus anjos? Quem somos nós para questionar a vontade do Senhor. O próprio Jesus não questionou a vontade do pai quando orou no getsêmane ele disse seja feita sua vontade e não a minha (Mateus 26:39). 

Essa é a marca de quem realmente é filho de Deus, faz parte do seu reino e lhe obedece a vontade. Depois de entendido tudo isso notamos que há agora intimidade entre o Senhor e o homem e que essa sintonia permite a continuação da oração e é o que vamos ver a partir de amanhã. 

Deus em Cristo Jesus abençoe a todos.

Por: Ev. João Bosco de Lima
Cidade de Pouso Alegre - MG
Celular: (04135) 9216- 9735- Tim (02135) 8405-0204 - Claro

Nenhum comentário:

Postar um comentário